ACQUABIOS
dicas / 19 Oct, 2018
Sobremesas light: comer sem culpa

Há dias em que surge uma necessidade (muito) grande de comer uma sobremesa doce. Para aquelas pessoas que seguem um plano de emagrecimento, isto pode ser catastrófico. Mas saiba que existem alternativas. Tome nota das minhas recomendações e diminua o valor calórico das suas sobremesas.

Artgo da responsabilidade do Dr. Alexandre Fernandes, Licenciado em Nutrição e Engenharia Alimentar; Terapeuta; Autor;  www.bemnutrir.com 

Por vezes – para algumas pessoas, quase todos os dias –, surge uma necessidade quase incontrolável de comer um doce. Para quem não tem problemas de excesso de peso, tudo fica mais fácil, mas para aquelas pessoas que seguem um plano de emagrecimento, comer um docinho pode ser catastrófico. Qual será, então, a melhor opção de sobremesas para quem quer emagrecer? A resposta óbvia seria escolher sobremesas de fruta, mas por vezes isto não satisfaz, pois não? Bem, o melhor é seguir as seguintes recomendações, de forma a diminuir o valor calórico das sobremesas doces.

RECOMENDAÇÕES

1- Substitua os ovos por sementes de linhaça. Por exemplo, para substituir um ovo, coloque uma colher de sopa de sementes de linhaça triturada em 3 colheres de sopa de água. Depois de bem misturada, deixe 2 minutos a repousar, antes de acrescentar aos restantes ingredientes da receita. Se a preparação (o doce ou a sobremesa) já for líquida ou semi-pastosa, pode adicionar as sementes de linhaça trituradas diretamente na preparação. Combina muito bem em receitas de bolos, panquecas, bolachas e biscoitos, por exemplo. Enquanto um ovo de galinha (clara mais gema) tem 70 calorias aproximadamente, uma colher de sopa de sementes de linhaça triturada tem 39 calorias.

NOTA – Estas sementes são uma excelente fonte de ácidos gordos ómega 3, que trazem muitos benefícios ao nosso organismo: ajudam a aliviar a tensão pré-menstrual; favorecem a circulação sanguínea, principalmente na irrigação de sangue para o cérebro; ajudam na depressão; e atuam como anti-inflamatórios.

2 – Substitua as natas por iogurte natural magro não açucarado. Se quiser preparar uma mousse, misture o iogurte com um pacote de gelatina em pó sem sabor: desta forma, não vai afetar a consistência da receita.

3 – Sempre que fizer um bolo, substitua o óleo ou o azeite por uma infusão de ervas, chá ou mesmo sumo de frutas. Lembre-se que uma colher de sopa de óleo (de qualquer qualidade) ou de azeite tem aproximadamente 90 calorias. Por exemplo, numa das receitas de bolo de cenoura é necessário uma chávena de chá de óleo, que tem por volta de 1170 calorias. Imagine que substitui pela mesma quantidade, mas de sumo de laranja, que tem somente 160 calorias. Desta forma, vai reduzir 1010 calorias na receita original! Não é uma excelente sugestão?

4 – Substitua o chocolate por cacau (igual ou superior a 90%) em pó. O chocolate tem na sua composição adição de açúcares e gorduras. Já o cacau em pó é o “chocolate puro”, tendo propriedades muito importantes para o nosso organismo, pois é uma excelente fonte de antioxidantes. Uma colher de sopa de cacau em pó tem, em média, 20 calorias; já o chocolate tem 60 calorias, dependendo da marca em questão.

5 – Para os amantes de salada de frutas acompanhada de natas ou de leite condensado, segue-se uma deliciosa dica. Para deixar a salada de frutas mais saborosa, faça um molho de iogurte natural magro (cabe a si optar pela versão açucarada ou não) batido com maracujá. O travo meio azedo do maracujá, juntamente com o sabor doce das frutas, deixam esta simples sobremesa muito mais sofisticada e deliciosa!

6 – Sempre que possa, substitua o ingrediente na versão normal pela versão mais magra. A versão magra está relacionada com o respetivo teor em gordura. Ainda que esta versão possa ter mais açúcar, é importante salientar que 1 grama de gordura apresenta 9 calorias, enquanto 1 grama de açúcar fornece 4 calorias. Isto significa que a receita terá uma diminuição importante do valor calórico da preparação final.

7 – Outra recomendação fundamental e que ajuda a diminuir bastante o valor calórico é substituir o açúcar por adoçante (que possa suportar temperaturas elevadas – caso seja necessário ir ao forno ou ao fogão).

Leia o artigo completo na edição de outubro 2017 (nº 276)

 

Saiba mais

CATEGORIAS
MAIS LIDAS
dicas / 19 Oct, 2018
Água alcalina: conheça os benefícios

Existem diversos estudos e artigos científicos publicados comprovando que, em locais onde a água é naturalmente mais alcalina e rica em sais minerais, a esperança média de vida é mais elevada. A água alcalina equilibra o organismo e regula o funcionamento dos órgãos e dos sistemas vitais. Conheça todos os benefícios.

 

Artigo da responsabilidade do Dr. Alexandre Fernandes, Nutricionista

 

É importante começar por relembrar que nosso organismo é constituído por aproximadamente 70% de água, 20% de matéria orgânica e 10% de sais minerais. Um ser humano pode ficar até duas semanas sem comer, porém não sobrevive muito tempo se não beber água.

A vida quotidiana faz com que haja uma diminuição do nosso pH, tornando o organismo ainda mais ácido. Por exemplo, ingerimos refeições pouco adequadas, onde imperam o fast-food e os alimentos industrializados, frutas e vegetais repletos de pesticidas e fertilizantes, abusamos dos refrigerantes e bebemos demasiadas bebidas alcoólicas e café, com a agravante de estarmos constantemente stressados.

Todos estes fatores aumentam a quantidade de radicais livres no nosso corpo, diminuem a vitalidade do sistema imunitário e promovem um envelhecimento mais precoce.

GRANDES BENEFÍCIOS

Existem diversos estudos e artigos científicos publicados comprovando que, em locais onde a água é naturalmente mais alcalina e rica em sais minerais, a esperança média de vida é mais elevada. Para além deste grande benefício, regra geral, a água alcalina equilibra o organismo e regula o funcionamento dos órgãos e dos sistemas vitais. Vejamos em pormenor.

 

Leia o artigo completo na edição de maio 2016 (nº 261)

 

Saiba mais
institucional / 19 Oct, 2018
Com valorizar e realçar a beleza natural

Os estereótipos de beleza, assentes em rostos perfeitos e sem falhas, são irreais e geradores de frustração. O importante é cada mulher reconhecer que tem uma beleza natural, própria e diferenciadora, propondo-se valorizar e realçar essa beleza. 

O rosto é como um “cartão de visita”: a partir dele, tentamos adivinhar a idade da pessoa, concluímos se é alguém que cuida de si, percebemos qual é o seu estado de espírito. O rosto é um reflexo da personalidade e um meio através do qual nos apresentamos aos outros, revelando as nossas intenções, os nossos sentimentos, os nossos problemas…

O rosto é, assim, um meio de comunicação por excelência e a pele facial um indício da nossa identidade: ela dá informações sobre a nossa saúde, dieta, hábitos de sono, estado de espírito, etc.. A pele do rosto reflete quer o nosso estado psicológico quer a nossa condição física.

Sendo tão reveladora e importante na forma como os outros nos percecionam, a beleza do rosto é um fator determinante na construção da autoestima. A beleza e a autoconfiança relacionam-se entre si e reforçam-se mutuamente. A mulher que se sente bonita sente-se, também, confiante e segura. Por sua vez, esses sentimentos positivos sobre si própria reforçam a sua beleza natural, fazendo-a “brilhar”.

De facto, a beleza exterior depende da forma como nos sentimos por dentro e, ao mesmo tempo, contribui para construir a nossa força interior e para reforçar a nossa autoconfiança.

PASSOS PARA UMA PELE SAUDÁVEL E LUMINOSA

Ar puro e luz, uma alimentação equilibrada e, claro, muito amor e carinho: a nossa pele precisa de tudo isto para viver. Mas precisa, também, de ser cuidada e protegida, para que possa cumprir o seu papel. Constituindo a primeira linha de defesa do corpo contra diversos agentes agressores, incluindo infeções e doenças, a pele está exposta a todo o tipo de influências.

De facto, praticamente tudo afeta a nossa pele: fatores externos – como o vento, o Sol, o tabaco, o fumo dos carros e fábricas, o calor, o frio, o ar condicionado – e também fatores internos – como o stress, uma alimentação desequilibrada, insuficientes horas de sono, entre outros – tornam necessário que, pelo menos, duas vezes por dia, dispensemos à pele do rosto – a mais exposta – um cuidado especial.

LIMPEZA – Mime a pele do rosto, começando com a limpeza. As agressões diárias a que a pele está sujeita reforçam a necessidade de uma limpeza e hidratação em profundidade. Mesmo quando não se usa maquilhagem, a pele necessita ser limpa e purificada de agressões, como a poluição, gorduras, fumos e outras impurezas.

TONIFICAÇÃO – Este é o segundo passo para um cuidado eficaz. O tónico, não só remove os últimos traços de maquilhagem e as últimas impurezas, como desempenha um papel essencial, porque acalma e refresca a pele, preparando-a para receber o tratamento hidratante.

HIDRATAÇÃO – E, por fim, a hidratação. Pela manhã, o hidratante fornece os nutrientes que fortalecem a barreira de hidratação natural da pele, ajudando-a a manter a vitalidade e protegendo-a contra as agressões diárias. A utilização do hidratante adequado a cada tipo de pele contribuirá para que permaneça suave, com um aspeto jovem e luminoso.

À noite, depois de limpa e tonificada, a pele precisa de um hidratante mais forte, para apoiar os processos naturais que aciona durante esse período. Durante a noite, livre de agressões externas, a pele encontra as condições ideais para renovar as suas células. Enquanto dormimos, a pele “trabalha”, preparando-se para mais um dia. Um bom creme de noite proporciona os elementos essenciais, que reforçam o processo de regeneração celular e permitem à pele otimizar a sua condição.

Leia o artigo completo na edição de março 2018 (nº 281)

 

Saiba mais
institucional / 19 Oct, 2018
90 dicas práticas e essenciais

A beleza é um assunto importante. E são tantas coisas que é necessário saber, que resolvemos compilar as melhores dicas práticas para que tenha sempre à mão as informações essenciais.

  1. Relaxe o corpo e a mente

O stress é um vilão que tanto ataca a sua saúde como a sua beleza: ele acelera o processo de envelhecimento e deixa a pele sem brilho. A solução é procurar momentos de relaxamento, para combater a rotina quotidiana. Faça meditação, acenda velas e incenso, leia bons livros, reserve tempo para cuidar de si, ponha a conversa em dia com as amigas, veja um filme… Tudo o que puder fazer para descansar a mente e relaxar o corpo é positivo.

  1. Chás de beleza e saúde

A moda começou com o chá verde, rico em substâncias que neutralizam a ação dos radicais livres. Em seguida, veio o chá branco (que contém mais antioxidantes) e o vermelho (que diminui os níveis de colesterol). Por isso, aposte nos chás e experimente todas as variedades.

  1. Dormir bem é fundamental

A quantidade de horas que cada um deve dormir depende do ritmo de cada organismo, mas o que é importante é garantir a qualidade do sono. Adquira boas rotinas antes de ir para a cama.

  1. SPAs e clínicas de beleza

As pessoas com excesso de peso ou que levam uma vida desregrada, mas que querem adquirir hábitos saudáveis, são as candidatas ideais adquirir pacotes de tratamentos em SPAs e clínicas de beleza. 

  1. Drenagem linfática

A drenagem linfática, manual ou mecânica, é um método que permite eliminar as toxinas e o excesso de líquidos do organismo. É fundamental no combate à celulite, por exemplo.

  1. Adeus flacidez

A plataforma vibratória Power Plate é perfeita para combater a flacidez, definir os músculos e perder peso, já que a vibração ativa as fibras musculares. É certo que o seu preço não é nada em conta, mas saiba que cada vez mais ginásios dispõem deste aparelho.

  1. Cremes redutores

Existe um sem número de cremes redutores no mercado. Eles ajudam a reduzir a celulite e a gordura localizada. O segredo está na fórmula com lipossomas da carnitina e cafeína, que melhoram o sistema linfático.

  1. Mesoterapia

Menos 5 cm de perímetro na barriga é o que prometem as sessões de mesoterapia, com e sem agulhas.

  1. Pele lisa e sedosa

Em alternativa, experimente a endermologia que, além de ajudar a reduzir centímetros, deixa a pele lisa e sedosa.

  1. Lipoescultura não invasiva

Aparelhos de alta tecnologia que fazem uso dos ultrassons cavitacionais, capazes de atingirem e romperem as células adiposas, são atualmente uma das soluções mais utilizadas para combater a celulite e as gorduras localizadas, de forma rápida e indolor. Uma autêntica lipoescultura não invasiva.

  1. Radiofrequência

Por sua vez, a radiofrequência atua contra a flacidez, ajudando a formar novas fibras de colagénio. Os resultados aparecem em duas a três sessões.

  1. Prevenção de estrias

A probabilidade de desenvolver estrias varia conforme o tipo de pele, a raça, a idade, a alimentação e a hidratação da própria pele. Nos grupos de pessoas mais vulneráveis incluem-se: grávidas, praticantes de musculação, adolescentes com súbitos “saltos” de crescimento e pessoas com aumento de peso rápido. A melhor arma contra as estrias é a respetiva prevenção, nomeadamente através da aplicação de cremes hidratantes específicos para estrias.

  1. Carboxiterapia

É uma moderna técnica na qual o gás carbónico é injetado no tecido subcutâneo, utilizando uma agulha muito fina, com o objetivo de melhorar a circulação e oxigenação dos tecidos e estimular a formação de colagénio e novas fibras elásticas. São indicadas 10 aplicações, sendo três por semana. Os resultados são visíveis a partir da quinta sessão.

  1. Cirurgia da intimidade

De acordo com vários especialistas, o rejuvenescimento dos grandes lábios melhora a autoestima da mulher. Já existem cirurgias que resolvem o assunto. Investigue!

  1. Ordem correta

Se é adepta de diferentes cremes para cada parte do corpo, saiba como aplicá-los: em primeiro, deve passar o hidratante e, uma vez hidratada a pele, é a vez dos tratamentos especializados, como o anticelulítico e o redutor de medidas no local específico.

Leia o artigo completo na edição de novembro 2017 (nº 277)

 

 

Saiba mais
saude e bem estar / 18 Oct, 2018
Importância de controlar o pH

Importante tanto para a pele como para o resto do organismo, o ph admite poucas variações, sendo fundamental mantê-lo dentro dos valores ótimos. Descubra quais são os seus níveis adequados, de acordo com as distintas zonas corporais.

 

Cada vez é mais comum observar em sabonetes e outros produtos cosméticos a especificação de que possuem um pH neutro. Este é um dado importante, já que a alteração dos valores de pH na pele pode precipitar o aparecimento de doenças cutâneas. Além disso, quando se apresenta alterado em fluidos corporais, como a urina, pode indicar que algo não está a funcionar bem no organismo.

A sigla pH refere-se ao potencial de hidrogénio. O valor do pH pode variar entre 0 e 14, indicando a proporção de partículas de hidrogénio que existem numa solução aquosa. Este dado permite-nos conhecer o grau de acidez ou alcalinidade de uma substância. O pH neutro corresponde ao valor 7, que é o da água; enquanto que uma substância com um pH baixo (inferior a 7), como o suco gástrico ou o sumo de limão, é considerada ácida; e um fluído com um pH alto (superior a 7), como o sangue ou a água do mar, é referido como básico ou alcalino.

Na pele

Porém, esta regra generalista não se pode extrapolar completamente a todo o organismo humano. De acordo com os dermatologistas, o pH neutro da pele não é 7, mas sim à volta de 5,5. Isto é, com um pH 5,5, a pele encontra-se saudável e em ótimas condições.

A manutenção de um correto pH depende da película hidrolipídica da camada mais exterior da pele, o extrato córneo. Aquela película possui componentes levemente ácidos e, por esta razão, atua como um manto ácido protetor, explicam os dermatologistas.

Existem fatores endógenos – do nosso próprio organismo – e exógenos, que podem modificar o pH. Entre os primeiros, destacam-se a hidratação cutânea, a qualidade do sebo presente na pele, a sudação, a localização anatómica, a predisposição genética e a idade. Também os fatores externos, como o uso de sabões e produtos cosméticos, podem alterar esse pH ideal.

Manter o pH em bom nível é fundamental, como demonstram numerosos trabalhos científicos, dado que as eventuais variações são fatores desencadeantes de doenças cutâneas, como a dermatite, a ictiose – pele seca e escamosa –, a acne vulgar e algumas outras afeções.

Neste sentido, um estudo efetuado na vizinha Espanha, envolvendo 2100 mulheres de diferentes grupos etários, provou que as mulheres, entre os 41 e os 55 anos, com um pH mais elevado do que o correspondente à sua idade fisiológica, apresentam mais sintomas vulvo-vaginais, como secura, ardor, prurido ou dor nas relações sexuais.

 

Leia o artigo completo na edição de fevereiro 2018 (nº 280)

 

Saiba mais