ACQUABIOS
dicas / 03 Jul, 2020
Conheça algumas técnicas de neuromarketing para melhorar a experiência do cliente na sua loja!

Se você já é um revendedor Acquabios ou está familiarizado com nossos canais de comunicação, já sabe que o neuromarketing oferece algumas estratégias certeiras na hora de pensar na identidade e no posicionamento da sua marca.

Hoje vamos falar sobre como essas estratégias podem ser utilizadas também nos pontos de venda e porque são eficazes para prender a atenção dos clientes, além de favorecer o processo da compra.

As pesquisas em neuromarketing têm como objetivo verificar quais estímulos levam os consumidores a preferirem um produto à outro e qual é a jornada de compra que esse consumidor percorre até que sua decisão seja tomada. Além disso, o neuromarketing oferece estratégias que melhoram a relação empresa - consumidor, já que permite que o mercado entenda melhor quais as necessidades e desejos de seus clientes em potencial.

Neuromarketing aplicado ao ponto de venda

Um dos estudos de neuromarketing focado em pontos de venda, concluiu que os consumidores tendem a optar por produtos que estejam no centro dos displays e prateleiras, já que é nesse ponto que o olhar se fixa por maior tempo. De acordo com os pesquisadores, os cinco segundos finais do processo de decisão são extremamente importantes para a escolha do produto, já que é nesse momento que ocorre o aumento do foco visual. O produto que é visto com destaque é lembrado e comprado. Nesse ponto, a organização dos produtos - e da loja como um todo - também é importante para que os consumidores efetuem a compra. Sabe-se que 70% das decisões de compra são tomadas nos pontos de venda. Uma loja bem organizada, com produtos disponíveis, preços a mostra e sem filas enormes tem maior chance de conquistar os clientes.

Outro estudo do neuromarketing aponta que gôndolas com aproximadamente 1,60m funcionam melhor, pois permitem que o cliente alcance todos os produtos com facilidade, além de proporcionar uma visão abrangente da loja. Para potencializar o uso dessas gôndolas, o lojista deve criar um caminho com elas, expondo os produtos mais procurados no fundo da loja. Essa técnica faz com que os clientes consigam visualizar onde os produtos estão, ao mesmo tempo em que os obriga a passear pela loja, aumentando a chance do consumidor encontrar - e comprar - outros produtos pelo caminho.

A iluminação dos ambientes também é vital para as vendas. Lojas bem iluminadas, que oferecem destaque para produtos específicos aumentam a atenção sobre eles. Esse efeito pode ser criado tanto com a mudança das lâmpadas utilizadas em um ponto específico da loja quanto com o ângulo de iluminação, por exemplo.

Por que o neuromarketing funciona?

Já sabemos que o cérebro humano é dividido, basicamente, em três partes: o cérebro reptiliano, responsável pelo funcionamento dos nossos órgãos e ativado por meio de emoções primitivas como medo, sede, fome e frio, entre outras. Também temos o chamado cérebro límbico, responsável pelo processamento e armazenamento de informações e emoções mais complexas, ativado pelos sentidos de tato, olfato, audição, paladar e visão. Por fim, temos o neocórtex, que é a parte do cérebro que controla nosso raciocínio e interações sociais, onde acontece a tomada de decisões.

Qualquer estímulo que recebemos ativa o cérebro reptiliano ou límbico - e isso acontece sem a nossa consciência. A partir desses estímulos, tomamos decisões e ficamos com a impressão de que agimos racionalmente sobre determinado fato ou produto.

Só que, se as emoções e as memórias têm o poder de nos fazer gostar mais ou menos de situações, pessoas ou coisas, isso significa que podemos tomar decisões apenas baseados nas emoções que sentimos - mesmo que de maneira inconsciente - ou seja, as decisões que tomamos, inclusive relacionadas a compras de produtos, podem ser manipulações eficientes de nossos sentidos.

Você já utiliza algumas dessas estratégias no seu ponto de venda? Continue acompanhando nossos canais de comunicação para saber dessa e de outras dicas que podem potencializar suas vendas.

Saiba mais
saude e bem estar / 14 May, 2020
Dicas para manter saúde mental no isolamento social

A pandemia de COVID-19 e o isolamento social vêm acompanhados, muitas vezes, de sentimentos de angústia, medo, estresse e ansiedade. Esta situação inédita pode causar problemas à saúde mental de profissionais em todas as áreas.

 

Mas como contribuir para que a saúde mental de seus colaboradores durante a pandemia do coronavírus? Trazemos algumas dicas para compartilhar!

 

  • Mantenha-se conectado: esteja em contato com a sua equipe por meio de chamadas de vídeo e mensagens em grupo; 
  • Compreenda a situação: incentive seus colaboradores a compartilharem seus sentimentos, não apenas com a equipe de trabalho, mas com amigos e familiares próximos; 
  • Crie uma rotina agradável: para aqueles que estão em home office, sugira a criação de uma rotina diária com horários e tarefas determinadas; 
  • Faça atividades: crie novas atividades e incentive seus colaboradores a terem hobbies, ainda que em isolamento social. A troca de dicas de leitura e entretenimento é uma sugestão; 
  • Pense de forma realista: com tanta insegurança, ser pessimista demais pode ser ainda mais perigoso para a saúde mental. Por isso, seja realista ao abordar o assunto com os colegas e colaboradores. Pensamentos muito pessimistas podem criar um clima ainda mais desconfortável;
  • Limite a exposição: é muito importante se manter informado e compartilhar dados relevantes com a equipe, contudo, o excesso de notícias pode gerar ansiedade. Assim, limite o seu tempo de exposição aos portais de notícias, televisão e até mesmo redes sociais. Além disso, procure sempre fontes confiáveis.

 

Além destas dicas, é importante lembrar que os comportamentos em geral podem ser bastante afetados, mas em caso de dúvidas, aconselhe que seus colaboradores – e você – procurem ajuda de profissionais.

 

 

 

 

Saiba mais
saude e bem estar / 24 Apr, 2020
Água: em tempos de coronavírus, ainda mais essencial

O mundo enfrenta um inimigo silencioso: “coronavírus” e a Covid-19, doença causada por ele, se alastrou por todos os continentes. Há algumas semanas todos os noticiários e todas as conversas informais falam sobre o assunto.

Por conta dessa pandemia a água ainda está presente nos noticiários, mas desta vez, rebaixada como figurante ao lado do álcool gel. É que uma das recomendações para se proteger do novo coronavírus é a de lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos a cada 3 horas ou usar o álcool gel, na falta de uma torneira por perto. Essa dica acabou escancarando uma triste realidade para todos os brasileiros, afinal, quem são as pessoas que têm acesso à água tratada no país? E quantas pessoas não podem se proteger desse vírus e de outras enfermidades por conta do desabastecimento ou da má qualidade da água?

Várias reportagens exibidas pela grande mídia apontam para esse problema, ainda sem solução. Outras, mais otimistas, mostram como a quarentena forçada de milhões de pessoas ao redor do mundo, em poucos dias, já consegue minimizar a poluição da atmosfera e dos rios. Na China, primeiro epicentro da epidemia, as medições das emissões de carbono reduziram em 150 milhões de toneladas métricas se comparadas ao mesmo período do ano passado, e isso durante o período de três semanas de quarentena. As informações foram divulgadas pelo Centro de Pesquisa em Energia e Ar Limpo - CREA, com base nos Estados Unidos a partir de imagens de satélite produzidas pela NASA e pela Agência Espacial Europeia - ESA.

A Itália, considerada um dos epicentros do coronavírus, também apresenta uma redução significativa durante esse período de quarentena. Segundo informações coletadas pelo satélite Copérnico Sentinel-5 da ESA, o país registrou uma redução de 20 a 30% nas emissões de dióxido de nitrogênio e outros gases do efeito estufa, melhorando consideravelmente a qualidade do ar. Além disso, os famosos canais de Veneza parecem ter voltado à vida após a proibição da atividade turística e o isolamento dos moradores. A água turva voltou a ficar cristalina - por conta da sedimentação dos resíduos pela falta do movimento de barcos e gôndolas e não pela melhora na qualidade - mesmo assim, cardumes de peixes foram novamente vistos nos canais e até cisnes e patos se atreveram a nadar por lá.

De maneira alguma essas mudanças significam que a pandemia de coronavírus, de alguma forma, é benéfica para o planeta. Mas, ela pode e deve nos fazer questionar muitas coisas sobre o modo como vivemos atualmente, completamente predatório e insustentável. Para que esse tipo de isolamento forçado e completo não volte a acontecer no futuro, por motivos ambientais, quais mudanças podemos implementar desde agora nas nossas relações de trabalho e hábitos diários? Quais medidas devemos tomar para a preservação de nossos recursos naturais e pela melhoria da qualidade do ar, da água, da terra e da vida no planeta?

A Acquabios deseja que você esteja em segurança, com acesso à água limpa e que adote as medidas de prevenção para frear a contaminação em massa. Cuide de si mesmo, cuide da sua família, da sua saúde física e mental, mas não deixe de olhar para o mundo e para as lições que ele nos oferece neste momento tão conturbado.

Saiba mais
institucional / 15 Apr, 2020
Estamos voltando as atividades

Nossa empresa está voltando as atividades e para trazer segurança aos nossos colaboradores e clientes estamos seguindo todos os protocolos preventivos recomendados pelo Ministério da Saúde. Seguimos com o nosso propósito de melhorar a qualidade da água, para assim, melhorar a sua qualidade de vida!

 

Saiba mais
institucional / 20 Mar, 2020
Informativo

Todos entendemos a grave situação dados os desdobramentos recentes causados pelas notícias sobre o Coronavírus/COVID-19.
Em vistas a pandemia mundial informamos que a Acquabios segue operando, obedecendo todas as medidas protetivas recomendadas pela OMS, além de horários reduzidos, restrições de recebimentos e atendimentos presenciais.
Considerando os fatos, as próximas semanas serão de monitoramento e avaliação dos efeitos desta crise e da necessidade da implementação de novas medidas.
Todas as demandas estarão sendo atendidas na medida do possível de forma online por meio dos nossos canais de atendimento: site, e-mail, whatsapp/telefone e redes sociais.
Na certeza de estarmos agindo em benefício de todos e da superação deste momento inesperado por todos nós, nos colocamos à disposição.

Comunicação corporativa.

 

Saiba mais