ACQUABIOS
dicas / 23 Jul, 2020
Você conhece o estilo Navy?

O estilo Navy também chamado de Náutico está em alta no décor. Com origem na Califórnia e em casas próximas ao litoral, ele proprociona ao ambiente um toque marítmo para a decoração.

A palavra Navy, significa marinha, por isso as cores predominantes deste estilo são os tons dos vestuários das forças navais. No décor, esse estilo bem litorâneo, agora invade as casas urbanas. A temática diferenciada tem como principal característica as cores e objetos que remetem a vida marinha, trazendo ao ambiente muitas listras, azul marinho, branco, combinadas as cores neutras, como bege, nude ou palha que lembram areia e contribuem para que o ambiente não fique pesado em cores. Tons amadeirados e cestos compõem perfeitamente este estilo. No décor, cozinhas que seguem este estilo, ficam super contemporâneas com este contraste de cores. E em um ambiente moderno não podem faltar itens indispensáveis ao dia a dia, que garantam a saúde da sua família. O Purificador de Água Easy na cor branca, se encaixa perfeitamente neste cenário, sem destoar com os tons e com a proposta desta tendência.

Um boa dica para você começar a transformar o seu ambiente é iniciando aos poucos: no sofá com almofadas nas cores azul marinho e branco. Na parede com um quadro super moderno de gravuras com cartas marítimas. Tapetes de junco/palha e cestos para guardar revistas são super bem-vindos ao cenário. Seja em uma decoração mais clássica ou mais despojada o estilo Navy é uma tendência que transmite elegância e bom gosto.

Escrito por: Chaiane Panazzolo - Arquiteta

Veja algumas imagens para sua inspiração!

Fonte: Pinterest

Fonte: Pinterest

Fonte: Home bunch

 

Saiba mais
dicas / 03 Jul, 2020
Conheça algumas técnicas de neuromarketing para melhorar a experiência do cliente na sua loja!

Se você já é um revendedor Acquabios ou está familiarizado com nossos canais de comunicação, já sabe que o neuromarketing oferece algumas estratégias certeiras na hora de pensar na identidade e no posicionamento da sua marca.

Hoje vamos falar sobre como essas estratégias podem ser utilizadas também nos pontos de venda e porque são eficazes para prender a atenção dos clientes, além de favorecer o processo da compra.

As pesquisas em neuromarketing têm como objetivo verificar quais estímulos levam os consumidores a preferirem um produto à outro e qual é a jornada de compra que esse consumidor percorre até que sua decisão seja tomada. Além disso, o neuromarketing oferece estratégias que melhoram a relação empresa - consumidor, já que permite que o mercado entenda melhor quais as necessidades e desejos de seus clientes em potencial.

Neuromarketing aplicado ao ponto de venda

Um dos estudos de neuromarketing focado em pontos de venda, concluiu que os consumidores tendem a optar por produtos que estejam no centro dos displays e prateleiras, já que é nesse ponto que o olhar se fixa por maior tempo. De acordo com os pesquisadores, os cinco segundos finais do processo de decisão são extremamente importantes para a escolha do produto, já que é nesse momento que ocorre o aumento do foco visual. O produto que é visto com destaque é lembrado e comprado. Nesse ponto, a organização dos produtos - e da loja como um todo - também é importante para que os consumidores efetuem a compra. Sabe-se que 70% das decisões de compra são tomadas nos pontos de venda. Uma loja bem organizada, com produtos disponíveis, preços a mostra e sem filas enormes tem maior chance de conquistar os clientes.

Outro estudo do neuromarketing aponta que gôndolas com aproximadamente 1,60m funcionam melhor, pois permitem que o cliente alcance todos os produtos com facilidade, além de proporcionar uma visão abrangente da loja. Para potencializar o uso dessas gôndolas, o lojista deve criar um caminho com elas, expondo os produtos mais procurados no fundo da loja. Essa técnica faz com que os clientes consigam visualizar onde os produtos estão, ao mesmo tempo em que os obriga a passear pela loja, aumentando a chance do consumidor encontrar - e comprar - outros produtos pelo caminho.

A iluminação dos ambientes também é vital para as vendas. Lojas bem iluminadas, que oferecem destaque para produtos específicos aumentam a atenção sobre eles. Esse efeito pode ser criado tanto com a mudança das lâmpadas utilizadas em um ponto específico da loja quanto com o ângulo de iluminação, por exemplo.

Por que o neuromarketing funciona?

Já sabemos que o cérebro humano é dividido, basicamente, em três partes: o cérebro reptiliano, responsável pelo funcionamento dos nossos órgãos e ativado por meio de emoções primitivas como medo, sede, fome e frio, entre outras. Também temos o chamado cérebro límbico, responsável pelo processamento e armazenamento de informações e emoções mais complexas, ativado pelos sentidos de tato, olfato, audição, paladar e visão. Por fim, temos o neocórtex, que é a parte do cérebro que controla nosso raciocínio e interações sociais, onde acontece a tomada de decisões.

Qualquer estímulo que recebemos ativa o cérebro reptiliano ou límbico - e isso acontece sem a nossa consciência. A partir desses estímulos, tomamos decisões e ficamos com a impressão de que agimos racionalmente sobre determinado fato ou produto.

Só que, se as emoções e as memórias têm o poder de nos fazer gostar mais ou menos de situações, pessoas ou coisas, isso significa que podemos tomar decisões apenas baseados nas emoções que sentimos - mesmo que de maneira inconsciente - ou seja, as decisões que tomamos, inclusive relacionadas a compras de produtos, podem ser manipulações eficientes de nossos sentidos.

Você já utiliza algumas dessas estratégias no seu ponto de venda? Continue acompanhando nossos canais de comunicação para saber dessa e de outras dicas que podem potencializar suas vendas.

Saiba mais
dicas / 08 Aug, 2019
O consumidor no centro da operação

Você está preparado? 

O omnichanel vem se posicionando como uma das mais importantes tendências no varejo. Para quem ainda não sabe do que se trata, é melhor ficar atento, pois a tendência surge para suprir uma necessidade do novo consumidor, afeito ao mundo online, mas ainda com muitos hábitos offline. O omnichanel surge para integrar esses mundos, fazendo com que as diferenças entre eles sejam sutis e praticamente imperceptíveis, mas sempre com foco na experiência do cliente.

Isso significa que o consumidor vai transitar livremente por redes sociais, sites, SACs e pontos de venda antes e depois de efetuar a compra; que cada um desses locais precisa comunicar com a mesma voz e eficácia para conquistar o cliente; e que não haverá distinção entre lojas virtuais e físicas, já que as compras podem ser feitas nos canais online, enquanto o contato com os produtos e o teste dos mesmos pode ser feito nos pontos de venda - comportamento que já ocorre desde a popularização dos smartphones e do acesso à internet.

Uso de dados para gerar informação

O uso de dados e de inteligência artificial também é uma tendência que vem com força. No caso das ofertas online, elas serão cada vez mais adequadas ao perfil dos clientes, e a segmentação e customização serão conceitos-chave para a assertividade nas vendas. Os robôs de atendimento e de ofertas também estarão em evidência e falando cada vez mais com clientes em potencial.

Outro fator para se levar em conta é a adesão a um CRM - Customer Relationship Management - ou seja, a uma ferramenta para gestão de clientes. Fazer essa gestão de maneira digital e escalável, com métodos e práticas simpáticas ao consumidor é a maneira mais sustentável para aumentar a fidelização da clientela.

Quando falamos em promover um produto ou serviço hoje, precisamos nos concentrar de maneira equivalente à qualidade desse produto e desses serviços, e também, à experiência do cliente – seja de compra, uso, interação ou relacionamento. Nesse sentido, os pontos de venda deverão ser pensados, cada vez mais, como “show rooms” e pontos de experiência onde o consumidor poderá desfrutar de estímulos sensoriais, bom atendimento e é claro, contato com os produtos. 

Quais dessas práticas você, como gestor, quer implantar no seu negócio ainda este ano?

 

Saiba mais
dicas / 04 Oct, 2019
Consumo consciente: o primeiro passo para preservar a natureza

Por que comprar, o que comprar e como comprar? Se você já se fez alguma dessas perguntas, não está só! Nossos hábitos de consumo tendem a ser cada vez mais observados, avaliados e questionados. Isso é fundamental para educarmos nosso comportamento, preservando a natureza e garantindo o futuro do planeta, além de economizarmos algum dinheiro.

 

A maneira como consumimos diz muito sobre a sociedade em que estamos inseridos e também sobre a economia que nos rege. Atualmente, somos influenciados ao consumo desenfreado e quase sem critérios de roupas, tecnologia e objetos com durabilidade cada vez menores. Isso gera uma altíssima quantidade de resíduos para o planeta, e todos nós pagamos essa conta.

 

É por isso que hoje, no dia do consumo consciente, vamos te ajudar a comprar melhor.

 

Por que comprar?

 

Compramos por muitas razões: porque precisamos de algum objeto para realizar uma tarefa, para sobrevivência, para nos sentirmos mais seguros. Mas também compramos para impressionar outras pessoas, para satisfazer nossos desejos e acalmarmos algum impulso ou porque pensamos que alguns objetos nos trarão felicidade.

 

O que comprar?

 

Sempre que for comprar alguma coisa, pergunte-se porque precisa dela. Você está comprando por impulso, porque essa coisa está na moda e você foi influenciado a desejá-la, ou porque ela tem alguma funcionalidade que você realmente precisa?

 

Pensar sobre o produto que você está prestes a adquirir é fundamental para não comprar a mais ou errado. Algumas vezes a vontade de ter algo supera o nosso discernimento e acabamos gastando com coisas que nem fazem o nosso estilo, que não servem para nosso corpo ou para o estilo de vida que levamos. Ficar atento a essas armadilhas de consumo melhora seu critério na hora das compras.

 

 

Como comprar?

 

Se há 20 anos alguém falasse que no futuro não precisaríamos sair de casa para comprar, provavelmente seria tratado como louco. Mas a verdade é que as tecnologias que estão a disposição de grande parte das pessoas hoje, permite que tenhamos acesso a quase qualquer coisa por meio de alguns cliques. Até mesmo alguns supermercados já oferecem a funcionalidade de comprar pelo site e receber as compras em casa. Mas será mesmo que essa é a melhor maneira de adquirirmos nossos pertences?

 

Ir até uma loja, manusear o produto, sentir cheiros, texturas e realizar provas antes de consumar a compra ainda é importante para fazermos as melhores escolhas, afinal, gastar dinheiro com algo que você nunca viu pode ser frustrante. Pesquisar preços e valores nunca esteve tão fácil, mas também pode te distrair e fazer com que você compre mais por impulso. O ideal é sempre ter em mãos uma lista dos itens que você precisa comprar, pesquisar os preços nas lojas virtuais, ir até as lojas físicas para provar ou testar os produtos em questão e só então efetuar a compra.

 

De quem comprar?

 

O transporte de mercadorias, bem como algumas atividades industriais são altamente poluentes, então, vale a pena parar para analisar de onde vem o que você compra. Quando for comprar alimentos, por exemplo, escolha pelos produtores mais próximos ao local onde você mora. Se eles trabalharem com produtos orgânicos, melhor ainda!

 

Ao comprar roupas e calçados, escolha itens de boa qualidade, pois o custo-benefício é maior. Aproveite seu smartphone e outros eletrônicos ao máximo antes de trocar por aparelhos novos. Afinal, se eles ainda funcionam perfeitamente, você não precisa de outros aparelhos só porque são lançamentos, né?!

 

Como usar?

 

Antigamente, as pessoas tinham o costume de aproveitar as coisas ao máximo antes de descartá-las. Recuperar essa memória e essa prática é fundamental para gerar menos lixo. Repensar a ideia de descartável é extremamente necessário, afinal, tudo o que a nossa sociedade produz fica nesse planeta e ele está em uma situação cada vez mais crítica. Cuide, reforme, reutilize e recicle. Faça sua parte para diminuir a geração de resíduos.

 

Como descartar?

Você descarta seu lixo corretamente ou apenas mistura tudo em um saco e depois leva para a rua? Respeitar a coleta seletiva é um pequeno passo, mas exige uma mudança de cultura enorme na maneira como você olha para o seu lixo. Essa mudança também é necessária para fazer o descarte de coisas que você não quer ou não precisa mais.

 

Doe, repasse ou venda roupas, sapatos e outros utensílios em bom estado mas que você não utiliza mais. Procure orientação na hora em que precisar descartar eletrônicos que estão com avarias, o responsável pela coleta na sua cidade vai saber passar a orientação correta.

 

Compre o necessário, reutilize o que for possível, recicle e descarte corretamente seus pertences. Consuma de maneira consciente e faça a sua parte para garantir a conservação do planeta.

 

 

Saiba mais
dicas / 19 Dec, 2019
A cor do ano da Pantone e sua influência na decoração

Anunciada recentemente, a cor tendência do ano da Pantone serve de inspiração para a criação de ambientes modernos com um toque sofisticado. Nomeada como “Blue Classic”, ou Pantone 19-4052, o tom, segundo a empresa responsável pela criação das tendências mundiais, inspira calma, confiança e conectividade.

Ao entrarmos em uma nova década, este azul resiliente aumenta nossa aspiração por uma base sólida e estável sobre a qual construir, explica a Pantone. A cor simboliza a nova era, com a busca pelas conexões humanas e a empatia.

Identificada pela nossa psique como uma cor tranquila, a Classic Blue traz paz e serenidade, oferecendo uma sensação de proteção ao espírito humano. Impactando sobre a concentração e trazendo uma claridade igual a um laser, nos leva ao equilíbrio dos pensamentos. Com estas ideias em mente, o uso da cor que é tendência para o ano na arquitetura e decoração funciona perfeitamente para criar espaços de reflexão e contemplação, levando harmonia para residências e espaços comerciais.

Além da sensação de tranquilidade transmitida pelo tom, o Blue Classic é, também, uma cor instigante e sofisticada. A cor transmite versatilidade e individualidade, pois permite ser retrabalhada por meio de texturas, acabamentos diversos e revestimentos brilhantes, sendo uma cor muito fácil de combinar.

Na decoração, pode ser utilizada em ambientes completos ou em detalhes especiais, funcionando para móveis ou objetos de decoração. Lembrando o céu noturno do entardecer, o azul atemporal não se torna enjoativo com o passar do tempo. Com o Blue Classic, a Pantone busca entregar ao mundo uma oportunidade de criação de ambientes multissensoriais ao transmitir elegância e harmonia.

 

 

Saiba mais